Lula, la gran esperanza.Montserrat Ponsa

Sueño, igual que Leonardo Boff buen amigo, con el Brasil dibujado y puesto en marcha por Dilma Rousseff y Lula, artificies del Brasil para todos sin distinciones. El Brasil de la equidad .

Conocí Brasil antes de sus mandatos,  cuando Lula ganó la Presidencia. Regresé luego y, el cambio había sido brutal.

Su pretensión era trabajar duro para que a nadie le faltara la comida, Lula hablaba de que a nadie le faltase una comida al dia y  un espacio donde cobijarse. Lo hicieron, ganaron grandes batallas.

Un país donde la equidad dominara: desde la Educación-Cultura a la Sanidad. Donde la vivienda, resultado del trabajo para todos, permitiera que nadie durmiera en calles y plazas. Un país donde los niños tuvieran lo imprescindible para conseguir a partir de la escuela, un puesto en la Sociedad que ahora, de nuevo, tienen vedado. Lo consiguieron.

Un país donde desaparecieran las favelas –estuve colaborando unas semanas en una de Sao Paulo. Experiencia de vida- . País donde todas las personas fueran consideradas por igual. Un país donde la calle fuera placentera, no lugar de conflicto para obtener no importa cómo, lo imprescindible para una vida justa y digna cual corresponde a todos por igual.

Un país donde se castigaran mentiras y patrañas, las que ahora mantienen a Lula en prisión para negarle su puesto en las elecciones que no dudo ganará, pase lo que pase.

Un país que acabe esta locura de los poderosos: mantener a Lula en prisión con toda suerte de mentiras. Saben que Lula no tiene rival y, lo único que puede evitar que gane la Presidencia es mantenerle encerrado.

Ciudadanos del mundo ¿Por qué nos callamos? ¿Por qué no ir en multitudes a Reclamar la LIBERTAD DE LULA?

No permitamos que la historia nos juzgue por no haber ayudado a nuestros hermanos brasileiros con los que nos unen entrañables relaciones y, queremos apoyarles en su propósito.

LULA PRESIDENTE EN 2018. FUERA LA OLIGARQUÍA. EL PUEBLO ES SOBERANO: DEBE DECIDIR….

O povo organizado,protagonista da nova sociedade.Leonardo Boff

O Papa Francisco além de ser um líder religioso emerge também como um dos maiores líderes geopolíticos atuais. Ele tem um lado. Não reproduz um discurso equilistra, próprio dos pontífices passados. Pelo fato de ter claramente um lado, o dos pobres, das vítimas e da vida ameaçada, anuncia edenuncia. Denuncia um sistema que idolatra o dinheiro e se faz assassino dos pobres e depredador da natureza. Entende-se-: é o sistema e a cultura do capital. Temos que ouvir suas palavras porque é de alguém que tem consciência dos riscos que pesam sobre toda a humanidade e a natureza.

Não se limita à denúncia. Anuncia como se viu indubitavelmente no dia 9 de julho de 2015, por ocasição de sua visita à Bolívia. Realizou-se o II.Encontro Mundial dos Movimentos Sociais em Santa Cruz de la Sierra. Chamou a si os representantes dos movimentos para com eles, que sentem na própria pele as feridas da exploração, a fim de discutirem as causas de seus padecimentos. Nenhum dos papas anteriores teve esse ousadia.

Muitos representantes brasileiros marcaram lá sua presenç.a. O discurso é um verdadeiro roteiro para as lutas em direção de um tipo novo de civilização, já que a nossa está em crescente erosão e não possui internamente os meios de solução para os problemas ameaçadores que ela criou para si e para o nosso futuro. O discurso possui duas partes: na primeira estabelece as metas fundamentais que devem abranger a todos.São osfamosos três T: Terra para morar e trabalhar nela; Trabalho para garantir o sustento das pessoas; Teto para abrigar as pessoas porque não são animais ao relento.

A segunda parte é programática e representa um desafio. Diz aos representantes dos movimentos sociais. Resumindo suas palavras afirma: não esperem nada de cima, dos gestores do sistema vigente, pois vem sempre mais do mesmo que perpetua e aprofunda a miséria. Sejam vocês mesmos os protagonistas de um novo estilo de sociedade, com um nova forma de produção orgânica, sintonizada com a natureza; com uma distribuição justa dos benefícios e com um consumo sóbrio; sejam os profetas do novo fundado na justiça social e na solidariedade. E dá três conselhos: façam que a economia sirva à vida e não ao mercado; promovam a justiça social, base para a paz duradoura; e cuidem da Mãe Terra sem a qual nenhum projeto se torna possível.Estas orientações do Papa Francisco nos iluminam no meio da tormenta de nossa pluricrise atual.

O legado desta crise será seguramente um outro tipo de sociedade brasileira, onde os dezenas de movimentos sociais de homens e de mulheres possuirão um protagonismo determinante.

Será um novo tipo de cidadania que regenerá o Brasil. Só cidadãos ativos podem fundar uma sociedade democrático-participativa,sócio-ecológica, como sistema aberto e sempre perfectível. Por isso, o diálogo, a participação, a vivência da correção ética e a busca da transparência constituem suas virtudes maiores.

Fundamentalmente podemos dizer: há no Brasil dois projetos antagônicos disputando a hegemonia: o projeto dos endinheirados, antigos e novos, articulados com as corporações transnacionais que querem um Brasil com população menor do que realmente é. Este Brasil, assim, acreditam eles, daria para gerenciá-lo, em seu benefício, sem maiores preocupações. Os restantes milhões que se lasquem pois sempre tiveram que se acostumar a viver e a sobreviver na necessidade.

O outro projeto quer construir um Brasil para todos, democrático, pujante, soberano, ativo e altivo face às presses dos poderosos externos e internos, estes que querem recolonizar o Brasil e faze-lo mero exportador de commodities.

Os dois golpes que conhecemos na fase republicana, o de 1964 e do 2016, foram tramados e dados em função da voracidade dos endinheirados que não possuem um projeto de nação, apenas para si, comoforma de garantir seus privilegios.

Os que deram o golpe em 2016 embarcaram nesse projeto contra o povo. Na verdade, eles não têm nada a oferecer para os milhões de brasileiros que estão às margens do desenvolvimento humano, senão mais empobrecimento e discriminação.
Esta oligarquia de endinheirados,no entanto, não é portadora de esperança e, por isso, é condenada a viver sob permanente medo de que, uma dia, esta situação possa se reverter e perder seus privilégios.

Eis a nossa esperança: de que o futuro acabe pertencendo aos humilhados e ofendidos de nossa história que, um dia – e ele chegará – herdarão as bondades que a Mãe Terra reservou para todos. Alegres, se sentarão juntos à mesa, na grande comensalidade dos libertos, gozando dos frutos de sua resistência, de sua indignação e de sua coragem de mudare de suas vitórias. Então começará uma nova história do Brasil, da qual foram os principais protagonistas, homens e mulheres e da qual nos podemos honrar.

https://leonardoboff.wordpress.com/2018/08/05/o-povo-organizadoprotagonista-da-nova-sociedade/

 

A Rede Internacional de intelectuais. artistas e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade – Capítulo Brasil se solidariza incondicionalmente com o Presidente Nicholas Maduro

A Rede Internacional de intelectuais. artistas e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade – Capítulo  Brasil  se solidariza incondicionalmente com o Presidente Nicholas Maduro e a Revolução Bolivariana  contra o ato terrorista que tentou desestabilizar a Venezuela.  Atos terrorista  como este reforçam as forças revolucionárias que não se curvam  diante das investidas covardes de mercenarios financiados pelos detentores do Capital Financeiro internacional.

Presidente Nicolás Maduro,
Vossa Excelência foi alvo de atentado terrorista que, felizmente, não atingiu seu propósito. Não foi a primeira tentativa e, certamente, não será a última.
As causas desse ataque terrorista são conhecidas: vossa excelência se legitimou pelo voto direto e universal, em seguidas eleições, consagrando-se como protagonista de processo político que transformará a Venezuela em potência regional.
Como protagonista de um processo de justiça social e de uma Venezuela soberana, tentam impedi-lo de continuar liderando essa transformação.
Não por acaso o ataque terrorista ocorreu no dia em que se comemora a fundação da Guarda Nacional Bolivariana, pois pretendem destruir o conceito de soberania popular por ela encarnada e da qual vossa excelência é o guardião constitucional.
Receba nossa solidariedade e nosso compromisso com o direito de a Venezuela decidir livremente seu destino!